Éxito de la campaña de investigación SAT TOPAS, en la desembocadora del Tejo

LISBOA.- Decorreu, entre 1 a 5 de outubro de 2020, a campanha SAT TOPAS, a bordo do Navio de Investigação (NI) Diplodus do IPMA (figura 1). SAT é o acrónimo inglês de Sea Acceptance Trials, ou seja, testes de aceitação de equipamentos nas condições de operação típicas no mar.

O equipamento TOPAS PS129 é um perfilador de sub-fundo adequado para áreas com profundidade entre os ~2 m e os ~400m de coluna de água. Os perfilhadores de sub-fundo têm como objetivo a discriminação sedimentar nos primeiros metros de fundo aquático com resoluções verticais centimétricas. Estes sistemas podem aplicar-se à exploração e prospecção geológicas, podendo ser utilizados na detecção de objectos geológicos ou artificiais enterrados a pouca profundidade. Por exemplo, detecção de falhas ativas, depósitos minerais ou de tsunamis ou tempestades, navios afundados etc.

Na figura 3, retirada da publicação Mil-Homens et al. (2020) pode ver-se o maior pormenor do registo acústico da imagem de cima (perfilador acústico) em comparação com a de baixo (sísmica de reflexão de muito alta resolução). Esta grande resolução vertical é usada para distinguir objectos soterrados a baixa profundidade ou depósitos minerais, como por exemplo, areia para alimentação de praias. 

O equipamento estava a bordo do NI Diplodus e foi sustentado num poste no bordo bombordo, funcionando simultaneamente com uma sonda de batimetria multifeixe.

A equipa técnica foi constituída por 3 técnicos do IPMA, 1 da empresa fornecedora (3P) e 1 do fabricante (Kongsberg).

A área de testes localizou-se na foz do rio Tejo, área de estudo onde o IPMA já realizou outros tipos de levantamentos com recurso a outros métodos acústicos (figura 2).
 
Bibliografia:
Mário Mil-Homens, Pedro Brito, Vitor Magalhães, Marcos Rosa,Marta Neres, Marta Silva, Emília Salgueiro, Teresa Drago, AnaIsabel Rodrigues, Miriam Tuaty Guerra, Maria José Gaudêncio,Eveline Almeida, Mariana Silva, Mafalda Freitas, Celso Aleixo Pinto,Cidália Bandarra and Pedro Terrinha (2020). Integrated geophysical and sedimentological datasets for assessment of offshore borrow areas: the CHIMERA project (western Portuguese Coast). In, Asch, K., Kitazato, H. and Vallius, H. (eds) From Continental Shelf to Slope: Mapping the Oceanic Realm.Geological Society, London, Special Publications, 505,https://doi.org/10.1144/SP505-2019-100