Análisis "emocional y racional" a la transferencia de Paulinho (Braga) al Sporting lisboeta

 Sobre el caso Paulinho hay un fuerte debate entre los asociados del Braga. Los hay que recriminan al presidente Salvador haber vendido al goleador del equipo a un directo rival, como es el Sporting de Lisboa y más tras las enconadas rivalidades y casos que hay entre los dos clubs. Pero también los hay, socios y caracterizados adeptos del Braga, que entienden como imposible retener en Braga a un tipo que en cuanto vio los billetes que el Sporting lisboeta le ofrecía, comenzó a ponerse nervioso y a decir al entrenador y al roupeiro que no quería seguir en "A Pedreira". Sobre esto y más, uno de los más populares contertulios del foro "SuperBraga", el conocido Nighthawk, hacía hace pocas horas las siguientes consideraciones :  

"Há 2 vertentes. A emocional e a racional.

Emocionalmente esta transferência é uma m****. Perdemos um dos melhores jogadores para um "rival direto" em termos desportivos. Um jogador que ainda há 3 meses renovou e que força para sair. Ainda por cima para um clube alegadamente falido mas que depois sabe-se lá como tem 25M para gastar num treinador e num avançado em menos de 1 ano, um clube com o qual andamos a ter que fazer novos acordos para que nos paguem o que devem.

Racionalmente é um negócio irrecusável para o Braga. Tirando certas exceções (jovens com muito potencial da academia como Neto, Trincão e Carmo) o Braga não pode rejeitar propostas de 13M por qualquer jogador seu. Não pode. O nosso orçamento é de 30M, é um ato de má gestão rejeitar valores acima de 10M ou 12M por qualquer jogador do plantel (lá está, com as devidas exceções). Seja o Barcelona ou o Carcavelos a comprarem. Ainda por cima um jogador com quase 29 anos e que dificilmente dará mais retorno financeiro. Os jogadores valem o que pagam por eles. Ninguém ofereceu mais que isto pelo Paulinho. Tudo o resto são fait divers e formas de, de um lado e do outro, esticar o valor pra cima ou pra baixo.

E um clube não pode ser gerido de forma emocional. Um clube tem que ser gerido de forma racional. Não é possível ao Braga rejeitar valores destes por qualquer jogador seja ele o Paulo ou o António. Só com vendas destas podemos ano após ano irmos aumentando gradualmente os nossos orçamentos.

Isto mostra também que por muito que queiramos nós não estamos no nível dos 3 grandes em termos financeiros. Apertamos bastante a nível desportivo com o Sporting andamos sempre ali taco a taco, mas financeiramente (imoralmente ou não) eles estão muito acima. Têm mais do dobro do nosso orçamento, podem pagar 1M limpo a um jogador, podem pagar 12M por um treinador e 13M por um avançado. Nós não podemos. E quanto a isso não há volta a dar. Emocionalmente pode dar "raiva" como é que um clube com perdões de dívida de bancos intervencionados pelo estado pode continuar a fazer isto, mas o que é certo é que faz, e o dinheiro vai ter de aparecer de uma forma ou de outra porque sobre o pagar ou não, numa transferência de jogadores não há qualquer hipótese. Uma queixa na Fifa dá perda de pontos (veja-se o Caso do Cruzeiro) e na liga dá descida de divisão (veja-se o caso do Setúbal), pelo que mal ou bem eles vão pagar.

É nestes casos que se vê a diferença para os ditos "grandes". Não temos milhões para dar de ordenado nem podemos chegar a outro clube e comprar-lhes o avançado por 13M.

O negócio é bom, ainda por cima com aqueles 7,5M caso apareça uma proposta de 25M pelo Paulinho. No dia 1 de Julho o Salvador que ligue ao Mendes para mandar uma cartinha ao Varandas..."

La nueva casa de Paulinho  (Imagen : Sporting Clube de Portugal




No hay comentarios:

Publicar un comentario

Nota: solo los miembros de este blog pueden publicar comentarios.