Alarma en el fútbol português ante los no escasos casos de Covid-19 en planteles de equipos profesionales

Alarma en el fútbol português ante la aparición de no pocos casos de Covid-19 en planteles de equipos profesionales. Ello llevó a la suspensión de dos partidos de la primera jornada de la segunda división y amenaza el normal inicio en el próximo fin de semana de la primera división.

La Liga Profesional ya se posicionó al respecto, mientras en este lunes sostenían reuniones con altos cargos del Ministerio de Sanidad portugués.

Depois dos jogos adiados

Liga diz ser imperativo

manter orientação


A Liga Portuguesa de Futebol Profissional

defendeu que é “imperativo”

manter a aplicação da orientação

de que um caso positivo de

Covid-19 não torna, por si só, obrigatório

o isolamento colectivo das

equipas, referindo que a competição

não pode parar. A Liga convocou,

ontem, os médicos de todas as

sociedades desportivas que integram

as competições profissionais

para uma reunião de urgência, depois

de os jogos entre o Feirense e o

Desportivo de Chaves e entre o Académico

de Viseu e Académica, da

primeira jornada da II Liga, não se

terem realizado devido a casos positivos

de Covid-19.


“Tal como já foi prática no processo

de retoma da I Liga 2019/20, é imperativo

manter a aplicação plena

do ponto 27 do decreto 036/2020

da DGS, também contemplado no

ponto 10.2 do Plano de Retoma do

Futebol Profissional, que pressupõe

que “a identificação de um caso positivo

não torna, por si só, obrigatório

o isolamento colectivo, das equipas”,

e cuja aplicação com sucesso

na temporada passada, foi um

factor decisivo para o término da

competição”, refere a Liga de clubes

em comunicado.


Na reunião foram abordados os aspectos

relacionados com as orientações

definidas pela Direcção-Geral

da Saúde, bem como do Plano de

Retoma Específico para o Futebol

Profissional. A Liga de clubes, liderada

por Pedro Proença, salienta

que adoptou um processo de testagem

que vai “para lá da obrigatoriedade

prevista e requerida pelo decreto

036/2020 da DGS”, com o

objectivo de reduzir o risco de contágio

dentro de cada clube, garantindo

“um controlo de identificação

e redução da possibilidade de surtos

dentro de cada plantel”.

“Este modelo não pode ser penalizador

para uma actividade que não

pode parar, sob pena de se produzirem

danos irreparáveis”, refere.


A Liga reforçou ainda a importância

do “cumprimento escrupuloso” do

código de conduta assumido e assinado

por todos os agentes desportivos,

destacando também a necessidade

de todas as sociedades

desportivas manterem “uma articulação

próxima e regular com o delegado

de saúde local da sua região”.



Al final, Feirense no pudo estrenarse ante el Desportivo de Chaves,
uno de los dos partidos suspendidos en segunda división