Fadista de moda (Carminho) con recital en Ponte de Lima ("Diogo Bernardes") con precio moderado en las entradas (10 euros)

La noticia surgía hace apenas unas horas. Tiago Bettencourt cancela su concierto en Ponte de Lima, previsto para el 9 de febrero próximo. Desde el teatro Diogo Bernardes se hizo público lo siguiente : " Por motivos a que o Município de Ponte de Lima e o Teatro Diogo Bernardes são totalmente alheios, o concerto de Tiago Bettencourt, marcado para o dia 9 de Fevereiro, às 21h30, foi cancelado. Independentemente de não sermos responsáveis pela situação, pedimos desculpas por todos os incómodos causados".
La dirección del "Diogo Bernardes" reaccionó con rapidez ante el contratiempo y para la fecha del 9 de febrero ha buscado una artista que nada tiene que envidiar a Bettencourt... Ni muchísimo menos. La fadista de moda, Carminho, será quien suba al palco del histórico teatro limiano para ofrecer la que será otra gran noche musical en la villa más antígua de Portugal. Hay que felicitar muy sinceramente a quienes rigen la política cultural del municipio de Ponte de Lima por esta su rapidez y eficacia a la hora de buscar un sustituto de altura para esa tan esperada fecha del 9 de febrero.
A 9 de Fevereiro, às 21h30, no Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, Carminho.
Os bilhetes (10,00€) serão disponibilizados a partir das 9h00 do próximo dia 25 de Janeiro (sexta-feira). O número máximo de entradas a adquirir será de 4 bilhetes por pessoa, apenas no caso de existirem filas para a procura dos mesmos, podendo ir até ao máximo de 6 bilhetes por pessoa no caso de espectadores que pretendam adquirir a totalidade de lugares de uma frisa ou camarote de 1.ª classe.

Carminho é a grande voz do Fado e uma das artistas portuguesas com maior projecção internacional, de sempre!
Carminho nasceu no meio das guitarras e das vozes do fado, filha da conceituada fadista Teresa Siqueira, estreou-se a cantar em público aos doze anos, no Coliseu. O Fado esteve sempre tão presente que nunca pensou que pudesse ser a sua profissão. Durante a faculdade cantava em casas de Fado, foram várias as propostas para gravar mas decidiu esperar. Licenciou-se em Marketing e Publicidade e percebeu que cantar exigia uma maturidade e um mundo que ainda não tinha.
Durante um ano viajou pelo mundo, participou em missões humanitárias e regressou a Lisboa decidida a entregar-se por inteiro a um percurso artístico.
“Fado”, o seu primeiro disco, é editado em 2009 e tornou-se num dos mais aclamados álbuns do ano e da década. Alcança a platina – resultado invejável para uma estreia – e vê "Fado" abrir os corações de Portugal à sua voz, e as portas do mundo ao seu talento: melhor álbum de 2011 para a revista britânica "Songlines", actuações nas principais capitais europeias, no Womex 2011 em Copenhaga e na sede parisiense da UNESCO no âmbito da candidatura do Fado a património mundial.
No mesmo ano, colabora com Pablo Alborán em “Perdoname” e torna-se na primeira artista portuguesa a atingir o número 1 do top espanhol. Em 2012, o segundo álbum, “Alma”, estreia-se no primeiro lugar de vendas em Portugal e alcança posições de destaque em vários tops internacionais. Depois de passar pelas principais salas da Europa e do Mundo, em países como Finlândia, Suécia, Peru, Chile, Argentina, Colômbia, China, Índia, Letónia, EUA, Alemanha, Reino Unido, Coreia do Sul, Polónia, França, Áustria, Dinamarca, entre tantos outros, actua também no Brasil e realiza o sonho de gravar com Milton Nascimento, Chico Buarque e Nana Caymmi que resulta numa reedição de “Alma” com três novos temas. Carminho começa assim a conquistar o Brasil, com concertos esgotados no Rio de Janeiro e um pouco por todo o país.
Em 2013, Carminho afirmou-se como uma das mais internacionais artistas portuguesas, levando a sua voz aos quatro cantos do mundo, ao mesmo tempo que é distinguida em Portugal com um Globo de Ouro e o Prémio Carlos Paredes, vendo ambos os seus álbuns atingirem a marca da dupla platina.
No final de 2014 edita “Canto”, e a sua relação com o Brasil ganha raízes ainda mais profundas, com a primeira parceria de Caetano Veloso com o seu filho mais novo Tom que lhe oferecem o inédito “O Sol, Eu e Tu”. “Canto” inclui também o dueto com Marisa Monte e participações especiais de Jaques Morelenbaum, António Serrano, Carlinhos Brown, Javier Limón, Naná Vasconcelos, Dadi Carvalho, Jorge Hélder e Lula Galvão.
Em 2016, na sequência de um convite endereçado pela família de um dos maiores compositores do mundo, grava “Carminho canta Tom Jobim”, com a última banda que o acompanhou ao vivo nos seus últimos dez anos, partilhando temas com Marisa Monte, Chico Buarque e Maria Bethânia. “Carminho canta Tom Jobim” é já platina e com este disco Carminho é galardoada com o Globo de Ouro de melhor intérprete.
Depois do grande êxito conquistado com o álbum “Carminho Canta Jobim”, a cantora portuguesa, considerada uma das maiores intérpretes da história da nossa música, está de regresso com um novo disco de originais.
“Maria” é o título que Carminho escolheu para o seu novo álbum, o quinto da sua carreira e o mais pessoal de sempre. Um álbum em que participou activamente na sua produção e onde inclui várias canções de sua autoria. Um disco verdadeiramente emocionante.
Um diálogo constante, sempre sintonizado no respeito por tudo aquilo que Carminho aprendeu directamente de duas fontes magníficas, Beatriz da Conceição e Teresa Siqueira (sua mãe), com quem aprendeu a “respeitar a verdade dos temas e as palavras”, mas também a respeitar a sua voz própria e aquilo que de mais único e individual tem a oferecer ao mundo com o seu canto, deixando à solta a liberdade de ser a fadista que é e assumindo os riscos que quer correr.
Todo o seu percurso tem revelado em Carminho uma artista de decisões firmes e ponderadas, que nunca se esquece das suas origens, que transporta em si uma linguagem de vários séculos, mas que se revela actual na sua geração, com os olhos postos no mundo e no futuro.
Valeu a pena a espera.


Copyright © RÍAS BAIXAS TRIBUNA. Designed by OddThemes