Tras las protestas) Ponte da Barca y Vinhais logran unas migajas de Cabrita para sus pasos fronterizos

La frontera Portugal-España cerrada es una realidad que, como mínimo, Cabrita y cía la van a sostener así, atrancada, hasta después de Semana Santa como mínimo. Con lo cual los problemas -que no son solo los de los trabajadores transfronterizos- se van a seguir agravando, especialmente los agujeros en la economía de la raia, que son ya auténticos socavones. Hoy nos llega la noticia de un par de migajas más (un par de horitas de apertura bajo estricta vigilancia y control por la mañana y otro par de horitas por la tarde) depositadas en el plato de los mendicantes raianos por el ministerio que rige Eduardo Cabrita... referidas a las fronteras de Lindoso-Ponte da Barca con el Suroeste de la provincia de Ourense y la de Moimenta-Vinhais con el centro de la provincia de Ourense... Eso sí : las migajas llegan al plato de los medicantes después de que estos montasen sus grandes pollos días atrás...

A Câmara de Vinhais informou hoje que, a partir de terça-feira, as populações raianas desta zona vão poder voltar a atravessar a fronteira da Moimenta, que passa a integrar os pontos de passagens permitidos no novo estado de emergência.

A autarquia presidida pelo socialista Luís Fernandes fez saber que, depois de várias diligências, nomeadamente junto do Ministério da Administração Interna, a fronteira da Moimenta passará a estar aberta duas vezes por dia, permitindo a passagem, nomeadamente dos que vivem e trabalham em lados diferentes da raia.

“No novo estado de emergência, que tem início no dia 02 de março, mais duas fronteiras vão ter permissão para abrir, a da Moimenta e a do Lindoso [fronteira da Madalena, em Ponte da Barca, distrito de Viana do Castelo]”, divulgou o município do distrito de Bragança, referindo-se à renovação das medidas de contenção da pandemia covid-19.

A autarquia esclarece que o facto de, depois do Governo ter fechado as fronteiras com Espanha, “não haver qualquer fronteira aberta no concelho de Vinhais que permita aos trabalhadores transfronteiriços um acesso mais facilitado aos seus trabalhos no país vizinho” causou “grandes constrangimentos às populações”.

O município dá conta, em comunicado, que “tomou várias iniciativas para que pudesse ser aberta pelo menos uma das fronteiras, participando em reuniões com vários autarcas da zona da raia de norte a sul do país”.

A ação mais visível foi realizada, na segunda-feira, na fronteira da Moimenta com um minuto de silêncio para chamar a atenção para o problema.

A reivindicação da abertura deste ponto de passagem chegou também ao ministro da Administração Interna, com o envio de documentação a alertar para a situação, como indica a autarquia.

“Sabe-se agora que a luta e a persistência deram bons resultados, uma vez que, a partir do dia 02 de março, a fronteira da Moimenta passará a estar aberta, duas vezes por dia”, salienta.

Desde 31 de janeiro, que no distrito de Bragança há apenas um ponto oficial aberto permanentemente, que é a fronteira de Quintanilha (Bragança), e permissão de passagem nos dias úteis de manhã e ao final do dia em Miranda do Douro.

Aunque para obtener unas migajas, el follón montado días atrás sirvió para algo...


No hay comentarios:

Publicar un comentario

Nota: solo los miembros de este blog pueden publicar comentarios.