Jardines de Infancia con horarios de entrada y salida desfasados y zapatos a la puerta

La creches y jardins de infancia (los locales para los niños más pequeñitos) abrirán en Portugal el día 18. Y se conocen ya las normas... diferentes horarios y condiciones que se explican hoy en el Jornal de Noticias, de Porto, siempre avanzadilla de la actualidad.

"Quando abrirem, a 18 de maio, as creches vão ter de definir horários e circuitos de entrada e saída desfasados, para evitar o cruzamento de grupos de pessoas que não sejam da mesma sala", explicaba el diario portuense..

"Para evitar o cruzamento entre pessoas, a orientação estabelece a definição de horários de entrada e de saída desfasados e a definição de circuitos de entrada e saída" de cada sala, onde portas e janelas devem estar abertas para promover a circulação do ar. As normas constam de uma diretriz divulgada esta quarta-feira pela Direção-Geral da Saúde, após discussão com os parceiros do setor, que define as medidas de prevenção e controlo a adotar em creches, creches familiares e amas, em contexto de pandemia.

As crianças e funcionários devem ser organizados em salas fixas, sendo que cada funcionário deve ser responsável apenas por um grupo, não devendo grupos diferentes ter contacto entre si. Caso existam espaços que não estão a ser utilizados, "quer pela suspensão de atividades, quer pelo encerramento de respostas sociais", poderá ser equacionada a expansão da creche para lá. No período de refeições, a deslocação para a sala deve ser faseada e os lugares devem estar marcados.

A missiva indica ainda que "os responsáveis pelas creches devem garantir uma redução do número de crianças por sala de forma a que seja maximizado o distanciamento entre as mesmas, sem comprometer o normal funcionamento das atividades lúdico-pedagógicas". A distância de 1,5/2 metros deve ser promovida quando as crianças estão em "mesas, berços ou espreguiçadeiras". Na hora da sesta, em que é recomendado "o máximo de distanciamento físico possível", cada criança deve ter um colchão individual (sempre o mesmo), devendo os colchões estar separados e as crianças com "a posição dos pés e das cabeças alternadas".

O calçado deve ser deixado à entrada, nas salas em que as crianças se sentam ou deitam no chão, "podendo ser solicitado aos encarregados de educação que levem calçado extra (de uso exclusivo na creche)". O mesmo aplica-se aos funcionários, que devem pedir aos pais das crianças que os filhos não levem "brinquedos ou outros objetos não necessários" para a creche, garantindo a "lavagem regular" dos mesmos.
A DGS lembra que, antes da abertura dos espaços, estes "devem ativar e atualizar os seus Planos de Contingência, que devem contemplar os procedimentos a adotar perante um caso suspeito de covid-19 e a definição de uma área de isolamento".

In "Jornal de Notícias"



Share: