En portada / Na capa_$type=slider$count=6$rm=0$show=home

Contracapa / Contraportada_$type=grid$count=3$m=0$sn=0$rm=0$show=home

"rías baixas tribuna") Por el final de las absurdas fronteras (políticas, sociales, económicas...) que aún subsisten entre España (singularmente Galicia) y Portugal...y que tanto perjudican a la ciudadanía ibérica

JAE) "O Ribatejo e o jornalista ingénuo e sentimental"

A marca Ribatejo perde força a cada ano que passa. O Alentejo é cada vez mais uma marca mundial. Contradições dos burocratas que mandam mais...

A marca Ribatejo perde força a cada ano que passa. O Alentejo é cada vez mais uma marca mundial. Contradições dos burocratas que mandam mais do que deviam.


JAE


Comecei o ano novo como acabei o ano velho: a ler, a escrever, a projectar, a mobilizar, a repetir, aos 65 anos, a frase mais conhecido de Picasso: “Demora-se muito tempo para ficarmos jovens”, ou aquela outra ainda mais (des)conhecida: “Concordo com D. Quixote: o meu repouso é a batalha”.

Com esta conversa quero trazer aqui o nome do escritor turco Orhan Pamuk, que tem vários livros traduzidos em português, entre eles “O romancista ingénuo e sentimental” que, embora não seja o melhor dos seus livros, é aconselhado para aqueles que fazem da escrita e da criatividade um modo de vida. Ignorá-lo numa altura em que os livros podem ser a melhor prenda de ano novo seria injusto para o escritor que também é leitura obrigatória na vida do autor desta coluna.

II

O Ribatejo, designação do território onde vivemos, que tem vindo a ser abandonada pela maioria dos organismos do Estado, em favor do Vale do Tejo, Lezíria do Tejo e Médio Tejo, é a maior derrota dos nossos políticos e estrategas locais e regionais. Dou um exemplo que não pode ser ignorado por quem diz que tem dois dedos de testa: o Alentejo, muito mais longe de Lisboa, muito mais desertificado que o Ribatejo, muito mais pobre por causa da agricultura intensiva, o Alentejo, dizia, é uma marca nacional e internacional que ninguém foi ou será capaz de derrubar. O Ribatejo também era, ou parecia ser, mas a verdade é que caiu estrondosamente depois de algumas almas iluminadas acharem que a região não tinha força para se unir à volta do seu estatuto. E ganharam a aposta porque, de verdade, o Ribatejo tem rostos distintos que nunca se entenderam, ou pouco se entendem, não por causa da proximidade com Lisboa mas por causa da proximidade com Coimbra, a norte, e com Leiria, a oeste. Nem o facto de sermos a região do país com o maior potencial para a produção de bens agrícolas, com os solos mais férteis, o de maior qualidade e variedade de recursos naturais, foi suficiente para combatermos a divisão e a perda de identidade que se tem vindo a agravar com as divisões entre quem manda e governa e quem verdadeiramente tem poder.

Dou como exemplo o caso dos vinhos; a indústria do vinho engarrafado do Alentejo é em boa parte alimentada pelas uvas que se produzem nos campos do Ribatejo. É assim há muitas décadas; o Alentejo nunca teve produção de uvas suficiente para alimentar o seu mercado. E o que é que fizeram os iluminados da região para combaterem a concorrência da marca Alentejo?; criaram a marca Vinhos do Tejo que quase fez desaparecer dos mercados o prestígio e a verdadeira importância da cultura da vinha nas terras ribatejanas.

III

Por ainda vivermos o espírito de Natal deixo aqui sinais da minha paixão pelos doces tradicionais do Ribatejo que este ano voltaram a atraiçoar-me (nem imagino quantas pessoas poderão estar desencantadas como eu): não encontrei nos lugares por onde andei as azevias da minha infância com recheio de abóbora ou de tomate; só encontrei azevias com o enjoativo e maçudo doce de grão. Fica aqui o apelo do jornalista ingénuo e sentimental, título inspirado no livro de Orhan Pamuk, aos profissionais de pastelaria do Ribatejo: não se deixem ir em modas: ajudemo-nos com espírito de missão a combater a pandemia das azevias de grão de bico, e, sem brincarmos com as palavras, aproveitemos a embalagem para combatermos os burocratas regionalistas que se parecem com o doce de grão das azevias. ( JAE.


(Un artículo de Joaquím António Emídio, director general de O MIRANTE, el mayor y mejor semanario regional de Portugal

 

Comments

RÍAS BAIXAS TRIBUNA es una web de información, análisis, divulgación y crítica, contemplada en un planteamiento totalmente ajeno a lo comercial. El autor de RÍAS BAIXAS TRIBUNA no contrata publicidad alguna, ni tampoco recibe dinero alguno por la labor que realiza, lo que resulta suficientemente explicado en notas a pié de página de este site.
Salvo aquellos en donde hay referencia a sus autores o cita expresa con la firma de los mismos, todos los trabajos publicados en la web corresponden a la autoría directa del autor-director-editor de este site, o bien a hacerse eco -en todo o en parte- de informaciones, ideas, opiniones, imágenes y notas de prensa emitidas por terceros.
Sea como fuere : las opiniones vertidas en RÍAS BAIXAS TRIBUNA son de exclusiva responsabilidad de quienes las emiten y no representan, necesariamente, el pensamiento de esta publicación, por lo que el autor de esta web no se hace responsable -salvo aquellas que le son propias- de las ideas, datos, imágenes y opiniones de otros aquí reflejadas.
Nombre

-A EURORREGIÂO,285,-CORTOS Y DIRECTOS,27,-EL OCIO-TURISMO,70,-FRONTERAS,96,-LA CULTURA,69,-LA EURORREGIÓN,266,-LA VIDA,248,-Las Cosas de la Vida,2,-LAS OPINIONES,88,-LAS PERSONAS,94,-LOS DEPORTES,262,-m,1,-MAIS PORTUGAL,115,-MÁS ESPAÑA,76,-Ocio/Deportes/Espectáculos,1,-PORTADA,190,-PORTADA),468,-Y ADEMÁS...,266,+ GALICIA,1,1-EURORREGIÓN,330,10-OCIO-ESPECTACULOS,35,11-PORTUGAL TAMBIÉN,89,12-ESPAÑA TAMBIÉN,42,13-MÁS DE PORTADA,8,2-GALICIA,108,3-PORTUGAL,41,4-LAS COSAS DE LA VIDA,251,5 ASUNTOS DE PORTADA EN RÍAS BAIXAS TRIBUNA,470,5-OPINIÓN,82,6-OCIO-DEPORTES-ESPECTÁCULOS,157,7-MÁS EURORREGIÓN,151,8-EL ÚLTIMO PARTE,48,CAJÓN DE SASTRE,283,CLAVE INFORMATIVA,97,CORONAVIRUS,74,CORTOS Y LARGOS,13,CUADERNO FINAL,81,CULTURA Y ESPECTÁCULOS,19,CULTURA-SOCIEDAD-MEDIA,51,DEPORTES,311,EL ÚLTIMO PARTE,73,ESPAÑA,293,ESTAS TIERRAS Y ESTAS GENTES,12,EURORREGIÂO,16,EURORREGIÓN,35,EURORREXIÓN,39,FERROCARRIL,297,GALICIA,1122,GALICIA SUR,127,GRANDE REPORTAGEM,16,INTERNACIONAL,73,LA MIRILLA,59,LAS COSAS DE LA VIDA,583,LOS DEPORTES,16,MAIS PORTUGAL,23,MÁS ESPAÑA,8,MÁS GALICIA,186,MASS-MEDIA,508,Medios de Comunicación,10,OCIO,172,OCIO-ESPECTÁCULOS,149,OCIO-TURISMO,218,OPINION,123,OTRA PORTADA,10,PIE DE FOTO,23,PONTEVEDRA,188,PORTADA,39,PORTUGAL,570,PORTUGAL NORTE,67,PRIMER CUADERNO,84,PROVINCIA,614,PUNTOS DE VISTA,16,REPORTAJES,2,REPORTAJES-ARTÍCULOS,43,RETRATOS,88,SPORTING DE BRAGA,174,TAUROMAQUIA,151,VIGO,282,
ltr
item
RÍAS BAIXAS TRIBUNA: JAE) "O Ribatejo e o jornalista ingénuo e sentimental"
JAE) "O Ribatejo e o jornalista ingénuo e sentimental"
https://images.impresa.pt/mirante/2019-03-26-jae.jpg-1/1x1/mw-200
RÍAS BAIXAS TRIBUNA
https://www.riasbaixastribuna.com/2021/01/jae-o-ribatejo-e-o-jornalista-ingenuo-e.html
https://www.riasbaixastribuna.com/
https://www.riasbaixastribuna.com/
https://www.riasbaixastribuna.com/2021/01/jae-o-ribatejo-e-o-jornalista-ingenuo-e.html
true
1496149115088572514
UTF-8
Loaded All Posts Not found any posts VIEW ALL Readmore Reply Cancel reply Delete By Home PAGES POSTS View All RECOMMENDED FOR YOU LABEL ARCHIVE SEARCH ALL POSTS Not found any post match with your request Back Home Sunday Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Saturday Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat January February March April May June July August September October November December Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec just now 1 minute ago $$1$$ minutes ago 1 hour ago $$1$$ hours ago Yesterday $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago more than 5 weeks ago Followers Follow THIS PREMIUM CONTENT IS LOCKED STEP 1: Share to a social network STEP 2: Click the link on your social network Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy Table of Content