Sporting de Braga : un balance global positivo en la Liga Europa

En el acreditado portal deportivo en Internet, ZeroZero, cada semana escribe el profesor António Costa, socio y adepto contra viento y marea del Sporting Clube de Braga, además de un magnífico profesor de enseñanzas medias, personaje culto y afable, al que  mucho apreciamos desde hace ya casi tres lustros. Como antaño en "O Minho Desportivo" y en "Record", leemos a nuestro António Costa cada semana en ZeroZero, donde muestra su indudable amor al Braga, manifestado al lado de razonamientos sensatos y no exentos de lógica y bases fundadas. Tomamos buena nota de lo que dice y, con la debida venia, posteriormente, hacemos presentes sus apontamentos en el apartado de Ocio / Deportes / Sporting de Braga de RBT.

  O SÍTIO DOS GVERREIROS
  António Costa
Um balanço global positivo na Europa League

"O sítio dos Gverreiros” é uma coluna de opinião do zerozero.pt, de assuntos relativos ao SC Braga, na perspetiva de um olhar de adepto braguista, com o sentido crítico necessário, em busca de uma verdade externa ao sistema. 

Terminou a fase de grupos da Liga Europa, que esta época se jogou a um ritmo alucinante devido à pandemia de COVID19 e as suas consequências. Tive a honra de estar presente no jogo inaugural frente ao AEK, na única partida com algum público presente. O balanço global é positivo e só lamento aquele golo sofrido frente ao Leicester, depois de esgotados os descontos concedidos, que impediu que o SC Braga ficasse em primeiro lugar. Mesmo assim, considero que a prova realizada foi muito boa, com quatro vitórias, um empate e uma derrota, em Inglaterra, tendo a equipa marcado catorze golos e sofrido dez (sete deles frente ao Leicester). Os confrontos frente aos gregos do AEK e aos ucranianos do Zorya foram de sucesso total, mostrando um SC Braga crescido a nível europeu.

O jogo de despedida desta fase de grupos trazia à Pedreira o Zorya, com a equipa de Carvalhal a jogar pela vitória no seu jogo e a esperar que algo corresse mal a Leicester. A primeira condição aconteceu com naturalidade, mas a segunda não e isso impediu a obtenção do primeiro lugar, que estava em disputa. Com um calendário alucinante, Carlos Carvalhal viu aqui uma janela de oportunidade de descansar os jogadores mais utilizados e dar tempo de jogo aos menos utilizados. O técnico não foi de modas e mudou nove jogadores em relação ao jogo anterior, da liga portuguesa, com destaque natural para a estreia absoluta do menino Zé Carlos na lateral direita, cujo jogo realizado e a vitória por 2-0 obtida pela equipa perdurarão nas suas melhores memórias. Faltou descansar Galeno, mas a lesão longa de Moura complicou esta gestão. Uma referência individual para Ricardo Horta que, com o golo marcado escassos segundos depois de ter entrado no relvado, passou a ser o melhor marcador de sempre nas provas da UEFA, superando Paulinho, que desta vez ficou em branco. Confesso que fiquei admirado pelo facto de Carlos Carvalhal ter deixado no banco vários miúdos da formação, mas a explicação cabal surgiu depois na análise que o técnico fez ao jogo e o regulamento das competições, no ponto 7 do artigo 51º, refere que “um jogador que tenha participado num jogo da equipa principal poderá ser utilizado pela equipa B exclusivamente na primeira fase da prova, com exceção das três últimas jornadas dessa fase”. Assim, Schurrle, Bruno Rodrigues, Hernâni ou Vítor Oliveira, não puderam ser estreados a nível europeu, sob pena de terminarem a época prematuramente, em função de um regulamento que neste aspeto roça a demência.

Descido o pano sobre a fase de grupos, a Legião do Minho aguardava serenamente o sorteio da segunda-feira, onde tinha pouca escolha possível, face aos nomes dos clubes envolvidos, quer nos primeiros classificados, quer nos quatros cabeças de série provenientes da Champions League. Assim, eu já esperava que este sorteio colocasse no caminho do SC Braga um colosso europeu, entre Manchester United, Tottenham, Arsenal, Milan, Roma, Nápoles ou Ajax. Foi a Roma... Claro que desportivamente existiam adversários teoricamente mais acessíveis, como o Brugge ou o Dínamo de Zagreb, mas o Braga nâo foi feliz no sorteio, mais uma vez.

Na segunda-feira, o SC Braga regressou ao Jamor, uma semana depois de ali ter perdido com a B SAD, para defrontar desta vez o Olímpico do Montijo, do terceiro escalão, para a Taça de Portugal. 7-0 foi o resultado final e fica desnecessário qualquer comentario
Pensando num jogo de cada vez, convém lembrar que, na Taça da Liga, o SC Braga recebe na próxima quinta-feira o Estoril, onde inicia a defesa do título de Campeão de Inverno.

El profesor Costa



No hay comentarios:

Publicar un comentario

Nota: solo los miembros de este blog pueden publicar comentarios.