Ricardo Rio exige inclusión de proyectos estratégicos para Braga en el PRR

Ricardo Rio exige afectação mais equilibrada dos recursos e inclusão de projectos estratégicos para Braga no PRR que pretende el Gobierno de Portugal.
O Presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, endereçou uma carta com um conjunto de contributos relativos ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) Económica ao Primeiro-Ministro de Portugal, António Costa, ao Ministro do Ambiente e Transição Climática, João Matos Fernandes, e ao Ministro do Planeamento, Nelson Souza.
Em linha com as preocupações manifestadas pela Comunidade Intermunicipal do Cávado neste processo de consulta pública, a falta de auscultação dos agentes do território, a subvalorização das verbas a alocar à região Norte, a concentração de recursos nas áreas metropolitanas e a omissão de projectos capazes de melhor concretizar as diversas dimensões do PRR no território, conformes com as prioridades da União Europeia, são críticas apontadas ao documento pelo Autarca.
Para além desta visão ´excessivamente centralista´, Ricardo Rio considera ser uma ´fonte de desilusão´ o parco estímulo à competitividade e à capacitação do tecido empresarial e o ´flagrante esquecimento´ das áreas da cultura e do desporto enquanto motores de desenvolvimento do território e promoção da coesão social.
O Edil formula votos de que o Governo de Portugal reformule o PRR, garantindo esse processo ´uma afectação mais equilibrada e harmoniosa dos recursos disponíveis que vá ao encontro das aspirações dos territórios, alinhando os projectos com as metas que se pretendem atingir´.
𝐁𝐓𝐑 𝐞𝐥𝐞𝐯𝐚𝐫𝐚́ 𝐁𝐫𝐚𝐠𝐚 𝐩𝐚𝐫𝐚 𝐩𝐚𝐭𝐚𝐦𝐚𝐫 𝐬𝐮𝐩𝐞𝐫𝐢𝐨𝐫 𝐝𝐞 𝐬𝐮𝐬𝐭𝐞𝐧𝐭𝐚𝐛𝐢𝐥𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞 𝐞 𝐪𝐮𝐚𝐥𝐢𝐝𝐚𝐝𝐞 𝐝𝐞 𝐯𝐢𝐝𝐚
A carta elenca um conjunto de prioridades para Braga identificadas pelo Executivo Municipal que devem estar abrangidas pelo PRR, na qual se incluem projectos estruturantes para a Cidade e toda a região que, a serem concretizados, funcionarão como alavancas importantes da competitividade dos territórios e da sua recuperação perante a crise pandémica.
Os projectos identificados incluem, ao nível da mobilidade urbana sustentável, a implementação do BRT – Bus Rapid Transit para Braga. Em função do seu potencial, flexibilidade e custo, considera o Executivo ser a solução de transporte colectivo que melhor se adapta à dimensão da Cidade, em detrimento de outras opções com menos premência e verbas adstritas exageradas para os quilómetros de linha incluídas nesta versão do PRR.
Fiável, moderno, atractivo e com capacidade de transporte elevada, está prevista a implementação na zona mais densa do Concelho, onde habitam cerca de 120 mil pessoas.
A implementação do BRT tem um custo estimado de 150 milhões de euros, que incluem os estudos e fiscalização, as obras de inserção urbana, veículos, sistemas de bilhética e centro de controlo. É um projecto essencial para o esforço colectivo de alcançar as metas europeias para a neutralidade carbónica.
Leia mais em: https://bit.ly/3b9uqeU


No hay comentarios:

Publicar un comentario

Nota: solo los miembros de este blog pueden publicar comentarios.