Carta del FCP a los portistas, en día de grande y comprensible euforia



Y los del FC Porto, cómo andan en el día siguiente a la gran noche de Turin. Lo explica en la carta diaria a sus adeptos, uno de los responsables del club...

Bom dia,

De casa

Dúvida? Não, mas luz, realidade: o Futebol Clube do Porto é uma das oito melhores equipas da Europa.

O sonho que na luta amadurece concretizou-se. Pela frente estava uma equipa que só ganhou nove campeonatos de Itália nos últimos nove anos, que tem um plantel que teoricamente vale quase o triplo do do FC Porto e que tem como principal estrela um goleador que é um dos melhores jogadores da história do futebol.

Como não há derrotas quando é firme o passo, e porque o passo dos jogadores do FC Porto é bem seguro, desta vez a derrota até foi, na verdade, uma vitória: sim, a Juventus venceu por 3-2, mas quem avançou para os quartos de final da mais difícil competição de futebol do mundo foi o campeão de Portugal. O Futebol Clube do Porto.

Deram tudo por nós esses atletas. O Marchesín, que defendeu tudo o que pôde. O Pepe, que fez 18 cortes, ganhou todos os duelos aéreos e é um capitão à Porto. O Sérgio Oliveira, que marcou os dois golos e é outro capitão à Porto. Toda a mocidade invicta, todos os heróis que transportaram os nossos sonhos naquele relvado.

Eles são sempre heróis, são sempre portugueses, mesmo quando nasceram em terras distantes e têm os passaportes mais diversos. Graças a eles, Portugal era o único país que não os dos cinco principais campeonatos da Europa que tinha um representante nos oitavos da Champions. Graças a eles, continuará a ser o único, pois claro, nos quartos.

Azul, branca, indomável, imortal. Assim avançou ontem a bandeira do FC Porto em Turim. Após a vitória por 2-1 no Estádio do Dragão, uma primeira parte quase perfeita na casa da Juventus resultava numa vitória por 1-0 ao intervalo. Depois o cenário mudou. Já com o jogo empatado, Taremi foi expulso. Segundo as sempre falíveis leis da lógica do futebol, estaria quase tudo perdido.

Não estava. Pela frente havia mais de meia-hora de desvantagem numérica, mas os campeões nacionais aguentaram. Seguiu-se o prolongamento e mais 30 minutos assim. No total, foram 66 de dez contra onze. Quando os penáltis já estavam no horizonte, houve um livre mais ou menos na mesma zona daquele que McCarthy bateu 17 anos e nem mais um dia antes, em Old Trafford, e o que se seguiu não foi igual, mas foi parecido: Sérgio Oliveira marcou direto, a bola entrou, o FC Porto passou para a frente da eliminatória, e nem o golo que a Juventus marcou logo a seguir estragou uma história tão bonita.

No fim, treinador e jogadores convergiram nas ideias e nas palavras. Para Sérgio Conceição, nunca deixar de acreditar é “o verdadeiro ADN do FC Porto”. Para Pepe, “ser Porto é nunca se dar por vencido e lutar até ao final”. O capitão completou: o “belíssimo jogo” azul e branco foi temperado com “muito caráter” e também “muito amor”.

O mérito do FC Porto foi reconhecido na hora um pouco por todo o mundo. A própria Juventus não demorou a endereçar-lhe os parabéns. Aos microfones da norte-americana CBS, o selecionador da Bélgica, Roberto Martínez, enfatizou a importância do feito: “Grande clube. É um momento histórico. Há 17 anos, o FC Porto eliminou o Manchester United contra todas as probabilidades. Era algo que estava escrito nas estrelas”. Só não estava escrito nas capas da imprensa portuguesa, que no dia de um jogo tão importante optou por quase ignorá-lo e menorizá-lo face a acontecimentos irrelevantes, e que acabou uma noite histórica como esta a fazer a pobre figura de não comparecer na conferência de imprensa virtual de Sérgio Conceição.

Talvez seja este o nosso fado. Muitas vezes contra tudo e contra todos, sempre contra a vontade de quase todos. Mesmo assim, o desejo profundo de tornar maior esta cidade voltou a concretizar-se. Azar o deles. Os quartos de final da Liga dos Campeões vão jogar-se entre 6 e 14 de abril e o FC Porto lá estará, mais uma vez. Como não pôr no Porto uma esperança, se daqui houve nome Portugal?

Do mundo

Depois da relutância inicial, a vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Rússia tem conquistado a confiança das autoridades de vários países e já está a ser examinada pela Agência Europeia do Medicamento. O secretismo que começou por envolver a produção do fármaco gerou algum ceticismo, mas a prestigiada revista científica britânica The Lancet já validou os dados sobre a sua eficácia divulgados por laboratórios russos.

A 32.ª edição dos Jogos Olímpicos da era moderna, que vai realizar-se em Tóquio, teve de ser adiada um ano devido à pandemia da covid-19 e mesmo assim não vai concretizar-se em condições de absoluta normalidade. De acordo com a imprensa japonesa, não será possível receber no arquipélago adeptos oriundos de outros países, ainda que se especule sobre a possibilidade de serem abertas exceções para os convidados dos patrocinadores.

Aconteceu

Aos 75 anos de idade, Béla Guttmann vivia as últimas semanas de uma carreira com mais de quatro décadas e recheada de troféus. O FC Porto enfrentava o Benfica e a imprensa dava os encarnados como amplamente favoritos, ao ponto de Rolando ter feito um esclarecimento dias antes do jogo: “No FC Porto, ninguém tem medo do Benfica”. E foi isso, precisamente, que a equipa demonstrou no Estádio das Antas, onde os azuis e brancos foram superiores e venceram por 2-1, com golos de Abel e Cubillas. Foi há 47 anos.

Para ver

A série “Retratos do Novo Mundo” sobre o impacto da pandemia no FC Porto prossegue hoje com o testemunho de Vítor Bruno, treinador-adjunto de Sérgio Conceição. Para ver na FC Porto TV a partir das 17h00 ou no Universo Porto Jornal do Porto Canal depois das 22h00.

Para ouvir

Não há qualquer dúvida: "O Norte é Rei do Desporto".

Até amanhã,
Diogo Faria


No hay comentarios:

Publicar un comentario

Nota: solo los miembros de este blog pueden publicar comentarios.