El análisis del profesor Costa. La gran desgracia de Iuri Medeiros

O SC Braga venceu o Santa Clara por 2-1, na Pedreira, para a Taça de Portugal. O resultado tangencial pode dar a ideia de dificuldades que não existiram e de um equilíbrio que nunca se registou. Foi evidente a superioridade bracarense, que marcou dois golos válidos, mais dois anulados, sendo um deles discutível, e enviou duas bolas aos ferros, além de outras flagrantes chances de golo não concretizadas, com tudo isto a acontecer antes de os açorianos reduzirem o marcador no último lance de um jogo em que o nome maior foi o do jovem espanhol Abel Ruiz.

A nota mais negativa deste encontro vai para a lesão de Iuri Medeiros, ainda na primeira parte, e que ditou o fim precoce de uma época que ele estava a aproveitar para relançar a carreira, neste regresso ao futebol português. O jogador, curiosamente açoriano, percebeu que esta seria uma boa oportunidade de dar um rumo de maior sucesso ao seu percurso de jogador e o SC Braga preparava-se para exercer a cláusula de opção e ficar com ele em definitivo. Na minha opinião, o clube deve agora recuperar completamente o azarado jogador e manter a pretensão de o contratar em definitivo. Desejo ao jogador uma completa recuperação e que regresse mais forte, pois em Braga nunca se sentirá só.

O percurso na Taça de Portugal continua na meia-final contra o Porto, numa eliminatória que será disputada a duas mãos, ao contrário das restantes, e que em tempos de pandemia não se recomendava. Aliás, penso que esta opção de diferenciar a disputa das meias-finais a duas mãos merece ser repensada, pois cria uma incoerência no modelo global da competição.

O SC Braga tem, antes de pensar na Taça, vários jogos para disputar para a liga, desde logo a visita a Moreira de Cónegos, já esta segunda-feira, num calendário apertado, que faz disputar jogos a um ritmo alucinante, como os últimos quatro jogos disputados em apenas nove dias. Ora, esta intensidade competitiva obriga a uma rotatividade grande na equipa, como Carvalhal tem feito nos últimos encontros, uma vez que o intervalo de setenta e duas horas entre jogos não permite a recuperação plena dos atletas. Mas as lesões que já existiam, assim como esta de Iuri, não facilitam nada a vida do treinador e devem prejudicar o seu sono.

O fecho do mercado acontece esta segunda-feira e este artigo corre o risco de ficar rapidamente desatualizado, com alguma mudança de última hora, como acontece muitas vezes no último dia. O nome mais falado tem sido o de Paulinho que, a crer na imprensa, tenta fazer valer a sua vontade de se mudar para Alvalade, mesmo depois de renovar recentemente o seu contrato em Braga. É um dilema difícil de resolver, pois a saída agora do internacional português seria, por certo, um revés enorme para Carlos Carvalhal. Veremos, por isso, como termina este caso e se outras surpresas não surgem, tanto ao nível de saídas, como de entradas. Como diria um antigo jogador “prognósticos, só no fim do jogo”.

Por fim gostaria de dar os parabéns a Abel Ferreira, que se sagrou Campeão da Taça Libertadores ao serviço do Palmeiras, sucedendo a Jorge Jesus, que venceu a edição anterior com a equipa do Flamengo, curiosamente dois treinadores que passaram por Braga. É muito meritório o trabalho de Abel Ferreira, que este título culmina com brilhantismo e que terá menos divulgação na imprensa portuguesa, acredito eu, do que o seu antecessor. Parabéns, Mister.


Um artigo do professor António Costa,
comentarista e sócio do Sporting Clube de Braga.
"O sítio dos Gverreiros” é uma coluna de opinião de assuntos relativos ao SC Braga, na perspetiva de um olhar de adepto braguista, com o sentido crítico necessário, em busca de uma verdade externa ao sistema. Cada semana no ZeroZero


 

No hay comentarios:

Publicar un comentario

Nota: solo los miembros de este blog pueden publicar comentarios.