Fallece el ex-matador de toros português Armando Soares

La weblog Naturales Correio da Tauromaquia Ibérica anunció hoy la muerte del ex-matador de toros, ex-profesor de la Escuela Taurina de Moita, Armando Soares, víctima de un accidente vascular cerebral. La noticia ha causado hondo pesar en los medios taurinos, especialmente portugueses.

Faleceu hoje o maestro Armando Soares. Tinha 85 anos e foi vitima de acidente vascular cerebral.
Armando Soares nasceu no Barreiro a 27 de Outubro de 1935, tendo dado os primeiros passos no toureio na Escola de Toureio da Golegã, de Mestre Patrício Cecílio. Estreou-se como novilheiro amador em 1955 e a desejada alternativa aconteceu a 30 de Setembro de 1962 na Real Maestranza de Sevilha, com um toiro de Concha y Sierra, tendo como padrinho Miguel Mateo "Miguelín", e como testemunha Curro Montes.
Armando Soares foi um dos mais destacados e premiados matadores de toiros portugueses, tendo ainda sido um dos fundadores da Escola de Toureio da Moita onde leccionou durante muitos anos.
Que descanse em paz.

Armando Soares nasceu em 27 de outubro de 1935, no Barreiro (distrito de Setúbal).

Armando Soares como toureiro foi ensinado por mestre Patrício Cecílio, na Escola de Toureio da Golegã. A estreia de Armando Soares, como novilheiro amador, em Portugal ocorreu em 1955Rumando depois a Espanha, onde debutou em 28 de abril de 1956, na praça de Badajoz, numa novilhada sem picadores. A 30 de setembro de 1962, na Real Maestranza de Sevilha, diante de um toiro de Concha y Sierra, recebeu a alternativa, apadrinhado por Miguel Mateo "Miguelin", ocasião em que cortou uma orelha.

15 de agosto de 1965 foi confirmar a alternativa em Las VentasMadrid, com touros de Moreno Yagë, tendo sido apadrinhado por José Martínez Limeño. Nessa época de 1965 efetuou 24 corridas. No ano seguinte fez 20 e na temporada de 1968 participou em 23 corridas de touros.

Armando Soares recebeu o Prémio Bordalo (1964), ou Prémio da Imprensa, enquanto "Matador de toiros", entregue pela Casa da Imprensa em 1965, na categoria "Tauromaquia" que também distinguiu o cavaleiro José Mestre Baptista e o Cabo dos Forcados de Santarém, Ricardo Rhodes Sérgio

Com actuações em Portugal, Espanha, França, África, México e Califórnia (EUA), Armando Soares vestiu-se de toureiro durante 38 anos, 26 dos quais como matador.

Nos anos de 1975 e 1976, Armando Soares foi levado a tribunal em Portugal por protagonizar duas corridas de morte mas foi posteriormente indultado.

A retirada oficial de Armando Soares deu-se a 6 de outubro de 1988, no lisboeta Praça de Touros do Campo Pequeno.

Foi um dos fundadores, em 1992, da Escola de Toureio da Moita, onde deu aulas.

Em 2005 foi apresentada a obra A tauromaquia no Barreiro – Uma figura: Armando Soares, um trabalho de investigação de Fernando Carvalho Mota inserido no projecto "Barreiro no Tempo", da Câmara Municipal do Barreiro.

Em 2012 recebeu o VI Prémio Bacatum, entregue pela da revista Novo Burladero.


Momento de su alternativa, en Sevilla.

En su etapa en activo como matador





No hay comentarios:

Publicar un comentario

Nota: solo los miembros de este blog pueden publicar comentarios.