Portugal pasa de "situação de contingência" a "situação de calamidade" en todo el territorio nacional

Se veía venir. Los números iban creciendo en los últimos días. Y el premier Costa estaba esperando que se traspasase la barrera de los 2.000 diarios (hoy ha sucedido) para tomar nuevas medidas. El Gobierno de Portugal prohibe reuniones de más de 5 personas en la calle, en las terrazas, en público... a partir de las 12 de esta noche. Es solo una de las nuevas medidas y restricciones que en Portugal se implementan tras pasar el país por decreto gubernamental de la situación de contingencia en la que estaba a la de calamidad que a partir de este jueves regirá.

Portugal vai elevar o nível de alerta face à pandemia de covid-19 passando da situação de contingência para situação de calamidade em todo o território nacional, anunciou esta quarta-feira o primeiro-ministro, António Costa.
No final da reunião do Conselho de Ministros, António Costa considerou que a evolução da epidemia em Portugal tem sido "grave", razão pela qual o Governo decidiu avançar com "oito decisões fundamentais".
"Em primeiro lugar, elevar o nível de alerta da situação de contingência para o estado de calamidade em todo o território nacional, habilitando assim como a tomar as medidas que se justifiquem sempre que necessário, desde as restrições de circulação a outras medidas que em concreto se venham localmente a considerar", disse o primeiro-ministro.
António Costa adiantou que, "já ao abrigo da situação de calamidade, a partir das 24:00 de hoje deixará de poder haver ajuntamentos na via pública de mais de cinco pessoas".

Portugal vai voltar a situação de calamidade a partir das 24 horas desta quarta-feira com novas medidas mais restritas. Entre as medidas está limitar os eventos de natureza familiar, como casamentos e batizados, que sejam marcados a partir de hoje para um máximo de 50 participantes. Os festejos académicos e atividades de carácter não letivo ou científico nas universidades e politécnicos serão proibidos e os ajuntamentos estarão limitados a cinco pessoas na via pública, limitação que também se estende a espaços comerciais e restauração.
As forças de segurança e ASAE vão ter um reforço de ações de fiscalização das regras quer na via pública quer nos estabelecimentos de restauração e haverá ainda um reforço das coimas até 10 mil euros às pessoas coletivas (estabelecimentos comerciais e restauração) que não assegurem o cumprimento das regras.

É também recomendado o uso de máscara na via pública sempre que haja outras pessoas ao redor e a utilização da aplicação Stayaway Covid.
Será ainda presentada à Assembleia da República uma proposta de lei em que se solicita a imposição da obrigatoriedade do uso de máscara na via pública e também da utilização da app em contexto laboral, escolar e académico, nas Forças Armadas e Forças de Segurança e no conjunto da Administração Pública.

Antonio Costa, en la televisión portuguesa