Portugal : el banco Montepio pone en la calle a 800 empleados de aquí al 2022

Los bancos siguen echando por la borda el personal que sea preciso... sucede en España (ahí se avecina una buena con la fusión de Bankia y CaixaBank). Sucede en Portugal sin necesidad de fusiones para que, en un solo banco se vayan a la calle 800... Les pilló por sorpresa a los trabajadores y a los sindicatos, pero el banco llamado "Montepio" no se anda con chiquitas...

Sindicatos dos bancários reuniram com administração do banco, depois de terem recebido ontem com surpresa a notícia de uma eventual dispensa de centenas de trabalhadores. Presidente executivo confirmou que plano de reestruturação prevê saída de 800 trabalhadores até 2022. Sindicatos dizem que “será algo de uma magnitude nunca vista na Europa”.

Em cima da mesa está um plano de reestruturação que prevê a saída de 800 trabalhadores, cerca 20% do pessoal dos 3.560 que estavam a trabalhar no banco até ao fina de junho. O presidente do banco já confirmou que plano de ajustamento prevê a redução de oito centenas de funcionários no âmbito de um pedido de estatuto de empresa em reestruturação ao Governo que é feito por triénio, ou seja até 2022. Así explica esta quinta-feira o Jornal Económico. 

Fonte próxima ao processo confirmou ao JE que plano de reestruturação do Montepio que está a ser apresentado contempla a redução de cerca 20% do pessoal nos próximos três anos através de um programa de reformas antecipadas e rescisões de contratos. E avança que já terá sido entregue ao Governo um projeto de pedido de estatuto de empresa em reestruturação, que é feito por triénio, no âmbito do plano de ajustamento quer quer colocar em marcha ainda este ano. Este projeto terá de demonstrar que a dimensão da reestruturação para a viabilidade económica e financeira da empresa, obriga a ultrapassar aqueles limites. Estará depois nas mãos do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS) aprovar ou não, sendo ainda consultado o Ministério da Economia e os parceiros sociais sobre a situação económica e do emprego no setor em causa.

O Banco Montepio prepara-se para pedir ao Governo o estatuto de empresa em reestruturação no âmbito do plano de ajustamento que tem um custo estimado de 80 milhões para o banco. Com o recurso a esta medida excecional que está prevista na lei laboral, o banco da mutualista abre a porta a uma redução significativa de pessoal. Em causa está um pedido ao MTSSS do estatuto de empresa em reestruturação através do qual a instituição financeira procura flexibilizar a quota de que dispõe (em função da sua dimensão) para acordos com trabalhadores com vista a uma rescisão amigável, mantendo estes o direito ao subsídio de desemprego.