2018 : aumentó el número de espectadores en las corridas de toros en Portugal

( Joaquím Bastinhas, morto no fim de ano 2018, ainda toreou na época transacta. Imagen de Pedro Batalha.

LISBOA .- Já se encontra disponível o Relatório da Actividade Tauromáquica em 2018, elaborado pela Inspecção Geral das Actividades Culturais.
O mesmo reflecte os resultados obtidos dentro da competência do IGAC, pelo que os dados facultados, não espelham a realidade taurina na sua totalidade em Portugal, já que os não abrangem os espectáculos realizados nos Açores, Barrancos, nem os de Recortadores.
Ainda assim, e entre os vários dados facultados, salientar a realização de 173 espectáculos tauromáquicos em 2018 e em Portugal continental.

A praça de toiros do Campo Pequeno foi a que registou maior número de espectadores, com um total de, aproximadamente, 77.000, representando uma subida de 25% relativamente ao ano anterior.
Também comparativamente ao público, o número de espectadores passou de 377.952 em 2017, para 379.000 em 2018. 
O número médio de espectadores por espectáculo foi, aproximadamente, de 2.190, representando um aumento próximo dos 10% em relação a 2017 e aproximando-se do segundo valor mais alto da década (em 2011, com 2.200).

Um número que reflecte as muitas praças cheias que se registaram em 2018, a que acresce a melhoria na situação sócio-económica do país, uma selecção no número de espectáculos realizados que também privilegia a qualidade dos mesmos, reflectindo-se isso num aumento significativo de aficionados nas bancadas.
Em comparação com 2017, houve no ano passado 5 novos concelhos que tiveram festejos taurinos: Alenquer, Alvaiázere, Golegã, Mora e Seia. E foi ainda reinaugurada a praça de Paio Pires, com a realização de uma corrida de toiros. 
Albufeira, Lisboa, Vila Franca e Évora, foram os concelhos com o maior número de espectáculos realizados.
No que a artistas diz respeito, Luís Rouxinol foi o cavaleiro profissional que mais actuou; António Prates liderou o escalafón de praticantes e Marco Santos o de amadores. Manuel Dias Gomes e Nuno Casquinha foram os que mais actuaram em praças nacionais no que a matadores diz respeito. No que aos novilheiros diz respeito, liderou Diogo Peseiro, e Rui Jardim na categoria de novilheiro praticante, e Filipe Martinho na categoria de novilheiro amador. Nas pegas, os Amadores de Évora lideraram o escalafón.

Ler o Relatório na íntegra AQUI



Copyright © RÍAS BAIXAS TRIBUNA. Designed by OddThemes